quinta-feira, 22 de agosto de 2019

OS 14 GRANDES MESTRES BRASILEIROS - EVANDRO BARBOSA


Dando sequência a nossa série de postagens sobre os 14 Grandes Mestres brasileiros, com base no e-book do GM Rafael Leitão intitulado Os 14 Grandes Mestres brasileiros: e o que você pode aprender com eles, hoje iremos apresentar aos leitores um pouco sobre a vida e a carreira do GM Evandro Barbosa, o quarto da lista, por ordem alfabética de nome. Seguem as informações:



EVANDRO BARBOSA


Natural de São Sebastião do Paraíso/MG, Evandro Amorim Barbosa tornou-se o 12º Grande Mestre brasileiro no ano de 2016, quebrando o jejum de 6 anos sem novos GMs no país. A terceira norma era questão de tempo, mas seu desempenho no Campeonato Brasileiro Absoluto de 2015, quando terminou como vice-campeão, antecipou os fatos e o feito foi alcançado logo em seguida, no Circuito de GM do Nordeste, etapa de Natal/RN. 
Evandro contou os segredos da sua trajetória até a norma definitiva na palestra online “Como se tornar um GM?”, ministrada com o GM Rafael Leitão. Um trecho da aula, no qual ele diz os livros que utilizou em sua preparação, está disponível no Canal da Academia Rafael Leitão no Youtube. No ano de 2016, já como Grande Mestre, Evandro representou o Brasil pela primeira vez na Olimpíada de Xadrez de Baku, no Azerbaijão. Atualmente ele é 10º do ranking brasileiro.

Estilo de jogo:

Evandro Barbosa, como um dos representantes da nova geração, é muito bem treinado na utilização do computador e se destaca por ter um repertório de aberturas estruturado e bastante preparado. Outro fator positivo do seu estilo é que ele reconhece a importância do cálculo de variantes e a necessidade de treinar para melhorar no jogo.

O que você pode aprender com ele?

O GM Evandro certamente pode servir de inspiração para enxadristas jovens e ambiciosos que pretendem montar um bom repertório de aberturas e aprender a usar o computador na dose certa. Além disso, ele entende a dificuldade do jogo, dá importância ao cálculo de variantes e sabe da necessidade de treinar muito para melhorar no xadrez.


GM Evandro Barbosa (1992 -     )


FONTE:

LEITÃO, Rafael. Os 14 Grandes Mestres Brasileiros: e o que você pode aprender com eles. E-book disponibilizado para download gratuitamente.
 

O MATE DE BODEN


No xadrez existe um padrão de mate que ficou conhecido como Mate de Boden. Ele surgiu devido à seguinte partida, na qual o mestre inglês Samuel Boden (1826-1882) realizou um xeque-mate espetacular:


Schulten vs. Boden
Londres, 1844


1. e4 e5 2. Cf3 d6 3. c3 f5 4. Bc4 Cf6 5. d4 fxe4 6. dxe5 exf3 7. exf6 Dxf6 8. gxf3 Cc6 9. f4 Bd7 10. Be3 0-0-0 11. Cd2 Te8 12. Df3 Bf5 13. 0-0-0 d5 14. Bxd5??




14. ... Dxc3+!! 15. bxc3 Ba3++.

Vocês já viram o mate de Boden sendo aplicado na prática? Eu já vi, e posso garantir, é muito bonito!
 

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

OS 14 GRANDES MESTRES BRASILEIROS - DARCY LIMA


É chegado o momento de apresentarmos aos leitores deste blog o 3º jogador da lista de 14 GMs presentes no e-book intitulado Os 14 Grandes Mestres brasileiros: e o que você pode aprender com eles, de autoria de Rafael Leitão. 
Trata-se do GM Darcy Lima, atual Presidente da Confederação Brasileira de Xadrez (CBX). Apesar de a gestão do GM Darcy à frente da CBX estar sendo fortemente criticada por boa parte da comunidade enxadrística nacional nos últimos tempos, procuraremos aqui focalizar apenas o seu perfil enquanto jogador, e não enquanto dirigente. Feito esse importante esclarecimento, vejamos o que tem a dizer sobre ele o GM Rafael Leitão em seu livro:


DARCY LIMA


Darcy Lima (Rio de Janeiro, 1962) conquistou o título de Mestre Internacional em 1989 e o título de Grande Mestre no ano de 1997.
No ano de 2003 ganhou o título de campeão brasileiro absoluto de xadrez pela terceira vez, sendo apontado pelo site russo Chess Siberia como o melhor jogador de xadrez de setembro daquele ano. Além de ter representado o Brasil em várias Olimpíadas, ele se classificou para a Copa do Mundo de Xadrez nos anos de 2000, 2004, 2005 e 2007.
Atualmente Darcy é presidente da Confederação Brasileira de Xadrez - CBX. A função administrativa não afastou o GM dos tabuleiros, que ainda compete, embora em menor intensidade. Ele aparece como o número 6 do Brasil na lista de rating de agosto de 2018.

Estilo de jogo:

Darcy Lima tem um grande conhecimento dos clássicos e, além disso, destaca-se por ter ideias originais e ser um jogador criativo posicionalmente. Ele não segue um repertório de aberturas padrão e não se apega a nenhuma tendência. Joga aberturas originais, podendo inventar bastante nessa fase da partida.

O que você pode aprender com ele?

O jogo do GM Darcy Lima mostra que para jogar bem xadrez não é preciso estudar exageradamente aberturas ou seguir a "moda" nessa fase do jogo.
O GM mostra a importância de conhecer os modelos clássicos e testar ideias criativas.


GM Darcy Lima (1962 -       )


FONTE:

LEITÃO, Rafael. Os 14 Grandes Mestres Brasileiros: e o que você pode aprender com eles. E-book disponibilizado para download gratuitamente.

terça-feira, 20 de agosto de 2019

YASMIN E SARA CONQUISTAM JOGOS ESCOLARES DA PB


As duas irmãs adolescentes da cidade de Várzea, no sertão paraibano, Yasmin e Sara Soares, continuam no seu processo de aprimoramento contínuo na arte de mover os trebelhos, fato que se reflete em boas atuações e conquistas em torneios locais e regionais.
Na semana passada, mais precisamente no dia 16 de agosto, as duas garotas, que já estão sendo chamadas de "irmãs-prodígio", obtiveram o 1º lugar em suas categorias nos Jogos Escolares e Paraescolares da Paraíba, na modalidade xadrez.
Na ocasião, Yasmin venceu na categoria A (de 12 a 14 anos) e Sara na categoria B (15 a 17 anos), entre as competidoras do sexo feminino.
No masculino, os campeões foram os enxadristas Pedro Henrique (vencedor da categoria A) e João Felipe (vencedor da categoria B), segundo informações prestadas pelo Prof. Antônio Dutra.


Yasmin (à esq.) e Sara Soares, campeãs dos Jogos Escolares da Paraíba - edição 2019

 
Esta é mais uma importante conquista para o currículo dessas dedicadas e promissoras enxadristas, que deve ser celebrada por todos nós, jogadores e apoiadores do xadrez paraibano. Com a vitória na etapa estadual, as irmãs garantiram vaga na Etapa Nacional dos Jogos Escolares da Juventude, que acontecerá na cidade de Blumenau-SC, no período de 16 a 30 de novembro. Este sem dúvida é um incentivo para que elas continuem treinando forte para assim fazerem bonito em mais essa competição.

Esperamos que elas continuem progredindo e alcançando sucesso em futuros torneios, conseguindo assim se consolidarem como nomes de destaque no cenário enxadrístico brasileiro. Parabéns, Sara e Yasmin! Que vocês continuem nos orgulhando e representando bem a nossa querida Paraíba nos torneios do Brasil afora!

Informações adicionais sobre a vitória das irmãs Soares nos Jogos Escolares da Paraíba podem ser encontradas no artigo a seguir, de autoria do nosso amigo Severino Amâncio ("Biu do Xadrez") e publicado no Jornal Folha Patoense: http://www.folhapatoense.com/2019/08/19/irmas-enxadristas-de-varzea-conquistam-a-etapa-estadual-dos-jogos-escolares/#.XVs1PMElD2Q.whatsapp

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

OS 14 GRANDES MESTRES BRASILEIROS - ANDRÉ DIAMANT


Dando prosseguimento a nossa série de postagens sobre os 14 Grandes Mestres brasileiros, com base no e-book do GM Rafael Leitão intitulado Os 14 Grandes Mestres brasileiros: e o que você pode aprender com eles, hoje iremos apresentar aos leitores um pouco sobre a vida e a carreira do GM André Diamant, o segundo da nossa lista. Vamos lá:


ANDRÉ DIAMANT


O enxadrista cearense radicado em São Paulo, André Diamant (Fortaleza, 1990) começou sua vida no xadrez logo aos 4 anos. Com 8 anos iniciou suas aulas no Clube Hebraica e, patrocinado pelo clube, realizou um estágio de quatro meses na cidade russa de São Petersburgo, na Academia Alexander Khalifman*. Mais tarde, morou nos Estados Unidos.
Tendo conquistado vários títulos, incluindo o pan-americano de 2001, integrou a equipe olímpica brasileira na 38ª Olimpíada de Xadrez. Em 2008, aos 18 anos, sagrou-se campeão brasileiro e, um ano depois, conquistou o título de Grande Mestre, sendo o oitavo brasileiro a alcançá-lo.
Diamant esteve afastado dos torneios pelo período em que cursou faculdade nos Estados Unidos, mas no ano de 2015 retornou aos tabuleiros tupiniquins. Na lista da FIDE de agosto de 2018 ele é o número 8 do ranking nacional.

Estilo de jogo:

André Diamant é um jogador muito criativo, que não segue as regras clássicas e joga muito de acordo com sua própria intuição. Isso faz do Grande Mestre um enxadrista muito perigoso, pois ele pode surpreender seu adversário durante a partida criando uma ideia nova em qualquer posição. 

O que você pode aprender com ele?

Jogar com a intuição é um grande trunfo de enxadristas como André Diamant, que se tornam jogadores extremamente perigosos por serem capazes de criar ideias novas em qualquer posição.
Mas não pense que essa é uma característica inerente à personalidade de apenas alguns enxadristas, pois a intuição pode e deve ser treinada. Portanto, lembre-se de treinar a intuição durante os seus estudos de xadrez!

Partida memorável:

Como partida memorável e representativa do estilo do GM André Diamant, o GM Rafael Leitão indica o seguinte jogo, no qual Diamant consegue derrotar ninguém menos que o GM peruano Julio Granda, que foi durante muito tempo o melhor enxadrista da América do Sul e quatro vezes campeão continental! Acompanhe a partida por meio do link abaixo: 


GM André Diamant (1990 -     )

* Alexander Khalifman: Destacado Grande Mestre russo, chegou a tornar-se Campeão Mundial de Xadrez da FIDE, em 1999, tendo perdido seu título no ano seguinte, para o indiano Viswanathan Anand. Em 1998, Khalifman fundou a The Grand Master Chess School, famosa Academia em que o GM André Diamant teve a oportunidade de estudar.


FONTE:

LEITÃO, Rafael. Os 14 Grandes Mestres Brasileiros: e o que você pode aprender com eles. E-book disponibilizado para download gratuitamente.
 

domingo, 18 de agosto de 2019

PENSAMENTO DO DIA


"Toda a teoria do xadrez é alicerçada na ideia da mobilidade; uma peça é mais forte do que outra, se ela exerce fiscalização num maior número de casas; uma posição é preferível a outra, se as peças atuam juntas mas harmoniosamente, com maior liberdade de ação" (Mestre Nacional Orfeu Gilberto D'Agostini, autor do livro Xadrez Básico, um clássico da literatura enxadrística brasileira, obra da qual foi retirada essa citação).

Como não conseguimos localizar na internet nenhuma foto do MN Orfeu Gilberto D'Agostini (espantoso, não?), apresentamos em lugar da sua foto a foto da capa do seu bestseller Xadrez Básico, livro que ajudou a formar várias gerações de enxadristas brasileiros.




OS 14 GRANDES MESTRES BRASILEIROS - ALEXANDR FIER


Prezado(a)s amigos(a)s, já que na nossa publicação anterior falamos a respeito do primeiro enxadrista brasileiro a conquistar o ambicionado título de Grande Mestre, que foi o gaúcho Henrique da Costa Mecking (Mequinho), resolvemos aproveitar o conteúdo do e-book de autoria do GM Rafael Leitão, intitulado Os 14 Grandes Mestres brasileiros: e o que você pode aprender com eles, e a partir de hoje iremos trazer para os leitores, diariamente, o que o GM Leitão escreveu em seu livro sobre cada um desses 14 expoentes máximos do enxadrismo nacional.

Ao apresentar cada um deles, adotaremos o mesmo critério adotado pelo GM Leitão em seu livro, que foi o critério de ordem alfabética do nome do jogador. Dessa forma, o primeiro da nossa lista será o Grande Mestre Alexandr Fier. Seguem abaixo as considerações contidas sobre Fier no e-book supracitado:


ALEXANDR FIER


Natural de Joinville, Santa Catarina, iniciou sua carreira muito jovem, vencendo o Campeonato Paranaense sub-10 logo aos 6 anos de idade. Ainda nas categorias de base, destacou-se pelo vice-campeonato mundial sub-10 em 1998, disputado na Espanha.
Com 16 anos alcançou o título de Mestre Internacional e dois anos mais tarde o de Grande Mestre, tornando-se o segundo mais jovem brasileiro a atingir tal feito. Ele passou a ser o enxadrista nº 1 do Brasil em 2009, quando atingiu a posição 95 no ranking mundial. Fier é o atual campeão brasileiro* e na lista da FIDE de agosto de 2018 ele é o número 4 do Brasil.
Atualmente o jogador vive em Tbilisi, na Geórgia, com sua esposa, a também enxadrista Nino Maisuradze, e o filho do casal, o pequeno Viktor Fier. A mudança de endereço permite que Fier seja o enxadrista brasileiro mais atuante nos torneios internacionais, especialmente os europeus.


Estilo de jogo:

Dono de um estilo de jogo denominado "caótico" por ele próprio, é conhecido carinhosamente por seus fãs como “No Fier", que em inglês significa “sem medo”. O GM gosta de tomar muitos riscos durante a partida e se sente bastante à vontade em posições muito complexas taticamente. Além disso, ele possui uma excelente preparação teórica e sabe utilizar muito bem a tecnologia para ajudar na preparação de abertura.

O que você pode aprender com ele?

A principal lição que você pode extrair do estilo de jogo de Alexandr Fier é justamente nunca se deixar guiar pelo medo da derrota.
O pessimismo na hora de uma partida pode levá-lo a cometer erros de julgamento, portanto, coragem na hora de arriscar! Mas não é só. É preciso também não se deixar abalar por uma derrota. Por isso, se durante um torneio você perder uma partida, tente esquecer e não deixe que esse deslize influencie a qualidade do seu xadrez no restante da competição.



GM Alexandr Fier (1988 -    )

* No ano em que o livro do GM Rafael Leitão foi escrito (2018), Alexandr Fier era o Campeão Brasileiro de Xadrez.


FONTE:

LEITÃO, Rafael. Os 14 Grandes Mestres Brasileiros: e o que você pode aprender com eles. E-book disponibilizado para download gratuitamente.

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

VOCÊ SABIA?


Henrique da Costa Mecking, mais conhecido pelo seu apelido "Mequinho", conquistou o título de Grande Mestre Internacional em 1971, no Torneio de Hastings - Inglaterra, tendo sido o primeiro enxadrista brasileiro a ser agraciado com tal honraria.


GM Henrique Mecking, o Mequinho


Na ocasião, Mecking tinha apenas 20 anos de idade, e obteve uma atuação esplêndida, finalizando a competição em 3º lugar, com 9,5/15 pontos, atrás apenas de Kortchnoi e Karpov (ambos empatados com 11/15 pontos), e à frente de nomes consagrados do enxadrismo internacional, como Svetozar Gligoric, Miguel Najdorf e Ulf Andersson. Sem dúvida esse foi um feito de enorme importância, pois depois dessa brilhante conquista de Mequinho, o xadrez passou a ganhar um maior destaque e a despertar a atenção da sociedade, o que muito contribuiu para o desenvolvimento do xadrez no Brasil.


Torneio Internacional de Hastings - 1971

Classificação final



JogadorP1234567890123456Pts
1Viktor KorchnoiURS*1½½½½0111½11½1111.0
2Anatoly KarpovURS0*11½½½½½1½1111111.0
3Henrique MeckingBRA½0*½½1½½1½½1½11½9.5
4Robert ByrneUSA½0½*½11½½½10½1119.5
5Svetozar GligoricYUG½½½½*½½½½½½½½½118.5
6Miguel NajdorfARG½½00½*1½½1½½1½½18.5
7Ulf AnderssonSWE1½½0½0*½½1½½½½½18.0
8Wolfgang UnzickerBRD0½½½½½½*½½11½½½½8.0
9Helmuth PflegerBRD0½0½½½½½*½½½½½117.5
10Bojan KurajicaYUG00½½½00½½*½½1½117.0
11Victor CiocalteaROU½½½0½½½0½½*½½½½½6.5
12George BotterillWAL0001½½½0½½½*½½016.0
13William HartstonENG00½½½0½½½0½½*½1½6.0
14Raymond KeeneENG½000½½½½½½½½½*½05.5
15Peter MarklandENG00000½½½00½10½*14.5
16Michael FranklinENG00½0000½00½0½10*3.0
 

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

TORNEIO PAIS E FILHOS, SUCESSO ABSOLUTO!


Foi realizado no último sábado, dia 10/08, na cidade de Mãe D'Água, sertão paraibano, o Torneio de Xadrez Pais e Filhos, sob a competente organização do nosso colega Severino Amâncio, o "Biu do Xadrez". A competição, um sucesso absoluto de público, conseguiu reunir um total de 136 participantes, entre crianças, jovens e adultos, de quatro municípios. 


As irmãs Yasmin e Sara Soares ao lado do organizador do torneio, Severino Amâncio


Segundo informou Severino Amâncio, a ideia central do torneio foi a de congregar as duas gerações de enxadristas que foram ou continuam sendo seus alunos, uma iniciativa altamente positiva para a difusão e o desenvolvimento do xadrez naquela região. A competição teve caráter beneficente, ao arrecadar alimentos que serão distribuídos às famílias de baixa renda. 

A Campeã na categoria absoluto foi a adolescente Yasmin Soares, da cidade de Várzea-PB, que vem, ao lado de sua irmã Sara, despontando com um dos grandes talentos do xadrez feminino do Nordeste. Houve também vários enxadristas premiados em outras categorias. Parabenizamos os envolvidos na realização desse magnífico evento, que certamente passa a ocupar um lugar de destaque nos anais do enxadrismo paraibano. Mais informações sobre o Torneio Pais e Filhos podem ser obtidas na matéria do Jornal Folha Patoense, no link a seguir: http://www.folhapatoense.com/2019/08/13/mae-dagua-realiza-torneio-de-xadrez-com-mais-de-130-participantes/#.XVMGdIwXO2Q.whatsapp


terça-feira, 13 de agosto de 2019

SEÇÃO MEMÓRIA


Há exatos 35 anos, falecia o Grande Mestre e ex-Campeão Mundial Tigran Vartanovich Petrosian, nascido na Geórgia, mas de ascendência armênia. Petrosian foi sem dúvida um enxadrista completo, que dominou todos as facetas do jogo. Tinha a fama de ser um grande jogador defensivo, que se preocupava em adotar procedimentos profiláticos, mas era também um exímio conhecedor do jogo tático.
Muitas de suas partidas revelam um profundo entendimento dos conceitos estratégicos, de modo que só os jogadores de nível mais avançado conseguem apreciá-las devidamente.


Tigran Petrosian (1929-1984)


De acordo com a opinião de numerosos Grandes Mestres e jogadores que tiveram a oportunidade de enfrentá-lo no tabuleiro, Petrosian foi o jogador mais difícil de ser derrotado na história do xadrez, conforme atesta Yasser Seirawan em seu livro Duelos de xadrez: minhas partidas com os Campeões Mundiais. Ele é detentor de recordes impressionantes: em dez Olimpíadas de xadrez disputadas com a equipe da União Soviética, entre os anos de 1958 e 1978, Petrosian obteve o histórico de 78 vitórias, 50 empates e uma única derrota! Além disso, ele conseguiu passar pelos torneios interzonais e de Candidatos de 1961-1962 sem ter perdido nenhuma partida, sendo o único enxadrista da história a conquistar tal façanha!


Petrosian coroado Campeão Mundial de Xadrez


Tigran foi proclamado Campeão Mundial em 1963, após derrotar Mikhail Botvinnik em um match, pelo placar de 12,5 X 9,5. Em 1966, ele defendeu seu título com êxito contra o desafiante Boris Spassky, vencendo-o pelo contagem mínima de 12,5 X 11,5, mas em 1969 perdeu a coroa para o mesmo Spassky, depois de perder o segundo match jogado entre ambos por 12,5 X 10,5. Mesmo depois da perda do título mundial, Petrosian permaneceu na elite do xadrez internacional, conquistando muitas vitórias em torneios e participando das disputas válidas pelo ciclo do Campeonato Mundial (zonais, interzonais e Torneios de Candidatos).

Infelizmente, no dia 13 de agosto de 1984, o mundo perdeu esse brilhante jogador, que faleceu precocemente, aos 55 anos de idade, vitimado por um câncer. No entanto, seu legado permanece vivo entre os amantes da Arte de Caíssa, sendo valorizado sobretudo por aqueles que admiram o jogo estratégico e de manobras posicionais. Alguns dos melhores jogadores da história, a exemplo de Karpov e Kasparov, reconhecem a importância que teve Petrosian para o desenvolvimento do pensamento enxadrístico, por isso ele continuará merecendo a admiração e o reconhecimento das atuais e das futuras gerações de enxadristas. Salve, Tigran Petrosian!